Textos produzidos pelos alunos do 2º ano Ciclo II da EMEB Professor Otílio de Oliveira.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

UMA NOITE NO CEMITÉRIO

Um dia o amigo do meu pai morreu, todo mundo ficou muito triste menos eu, porque ele não deixava andar de bicicleta sozinho.

    No dia que ele morreu, eu senti um arrepio muito forte parecia que tinha um fantasma na minha frente.
      Ai no dia do enterro, do lado do tumulo dele tinha um colar coberto com areia, ai eu peguei.
        Quando eu e meus amigos fomos brincar no cemitério, estava o maior sol.   
       De repente veio uma tempestade monstruosa, e o céu ficou todo verde, e era um fantasma! Ai a gente saiu correndo, eu pensei: será que essa maldição toda é por causa do colar que eu peguei?
Ai a gente foi correndo colocar lá de volta.
       Ai logo depois de um tempo tudo voltou ao normal.
       Nesse dia eu aprendi uma lição: se você um dia for a um cemitério e ver um colar no chão não pegue você vai se dar mal.


Texto produzido e ilustrado por: Marco Antonio do 2º ano C do ciclo II

10 comentários:

Anônimo disse...

oi meu nome é Ohana Nicole, do 2 ano B ciclo II, gostei muito do seu conto, muito legal, amei o seu conto!Deu muito medo...Rsrsrsrs brincadeira mais das figuras para cartão de sites e blogs deu mesmo são imagens que se mechem como se fossem uns videos mais são de terror

Anônimo disse...

oI!!!!!!
adoreiiiiiiiiii seu conto tá demais

Célia Luiza Monteiro disse...

Achei bem interessante gostei!

Anônimo disse...

Achei bem legal mas achei que você colocou muitos "ais" na história!

Anônimo disse...

Seria bem legal no lugar do aí substituir por então não fica tão repetitivo. Ótimo conto me deixou bem alarmado quando for ao cemitério daqui pra frente. Rs. Parabéns.

José ronaldo Leitedasilva disse...

Era meia noite eu estava sentado na minha casa na última rua da cidade. minha casa não tinha murro, eu escorado no murro do vizinho. quando derepente vir surgir do nada uma mulher gorda e atrás dela uma menina magra meio cabocla nem negra nem branca e elas si falavam como se eu não estivese vendo-as derepente surgiu do nada assim um cigarro rodopiando no chão. Outro demônio surgiu do nada correndo em direção a ele e apanhou deu uns tragos e passou a bola da vez pra elas indo em direção ao mato derepente dizapareceram.eles estão por aí todos eles

Anônimo disse...

Olá,meu nome é Ana Lucia,tenho 15 anos,adorei seu conto,particularmente nao gosto muito de contos de terror,mas os eu é diferente,foi um dos poucos pelo qual me enteresei!!!!

Anônimo disse...

Ol@ meu nome e iris gostei muito desse conto e de assustas mesmo

Anônimo disse...

Vc precisa melhorar e muito seus contos.... a começar pelaforma de narrar... seus contos nao dao medo coisa nenhuma...vc precisa colocar mais emoçao, adrenalina, medo... olha nao se ofenda levr isso como uma critica construtiva...

Anônimo disse...

ola meu nome e yohana tenho 9 anos gostei muito do seu conto mas imaginava outro final