Textos produzidos pelos alunos do 2º ano Ciclo II da EMEB Professor Otílio de Oliveira.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A BONECA ASSASSINA


Em um dia nublado e chuvoso, chegou uma entrega na residência da senhorita Flávia e do senhor Otis e seu filho João. Eles moravam em uma casa enorme e um jardim lindo.
O entregador chegou com a entrega, então o João foi atender e lá estava a boneca dentro da caixa  ela se chamava Tiffany, o entregador falou:
—Aqui é a residência da senhorita Flávia e do senhor Otis? Disse o entregador.
—Sim. Disse João.
Então os pais de João perguntaram:
—Filho, vamos abrir para ver?  Disse seus pais. 
Então a família abriu a entrega e João falou:
—Aff! Poderia ser um boneco Max Still.


TEXTO PRODUZIDO E ILUSTRADO PELO ALUNO ANA JÚLIA GUIMARÃES DOS SANTOS – 5º ANO C

A ESCOLA MAL ASOMBRADA

Num dia chuvoso na escola estavam todos os alunos em suas salas, um menino chamado Kauã pediu a professora para ir ao banheiro e ela respondeu:
 —Pode ir, mas não demore.
Quando kauã estava no caminho, encontrou três de seus amigos: João, Alex e Guilherme, eles eram seus melhores amigos.
—João falou:                                                                                                                           —Vocês querem ver uma coisa assustadora? Kauã perguntou desconfiado:
—Tem certeza que é seguro? E João respondeu:
—Logico que é seguro.
E lá foram eles, quando chegaram ao local, o Kauã tremia de medo, o João abriu a porta que ele tinha falado rapidamente um vulto passou e pegou primeiro o kauã , apenas sobrando o João ,Alex e o Guilherme.
—O vulto quase me pegou  mas eu conseguir fugir –disse Alex.
—Eu tentei correr para a sala mais o vulto tentou pegar o João, mas o Alex puxou o João rapidamente, nós nos escondemos, mas o vulto conseguiu nos achar, nos saímos correndo e gritando.
Mas Alex descobriu que era tudo um sonho, Alex não consegui sair do sonho, mas o sonho paresia que era real, Guilherme foi pego pelo vulto e o João também junto com o Alex.
E nunca mais ouviram falar dos quatros meninos.
 
 

TEXTO PRODUZIDO  PELO ALUNO ALEX ABRAÃO DE MELO ALMEIDA – 5º ANO C


 

A CASA DA MORTE


Tudo começou quando um grupo de amigos foi investigar uma casa que todos diziam ser mal assombrada apesar desse grupo de amigos não acreditar nisso.
Esta casa ficava em uma cidade bem pequena e aconteceu no ano de 1996. Ela era chamada de Casa Da Morte por que todo mundo que entrava nunca mais saía.
Nesse grupo havia as seguintes pessoas: Tati, Gabi, Lucas e Bruno. Eles ficaram muito curiosos para saber se era verdade tudo o que diziam sobre essa casa.
Certo dia, Bruno reuniu o resto do grupo e disse:
-Eu estou muito curioso para saber o que tem naquela casa, então vou investigar. Quem está comigo?
Muito destemidos, todos aceitaram a proposta.
No dia seguinte, foram investigar a casa. Quando entraram a porta fez um barulho estranho, e quando Gabi entrou (ela foi à última a entrar) a porta bateu e trancou.
Todos ficaram com medo, mas continuaram andando. Estava tudo tranquilo, até que ouviram alguns passos e correntes arrastando no andar de cima.
Muito curiosos, subiram para ver o que tinha feito o barulho.
De repente ouviram gritos vindo de um dos quartos... Quando entraram viram uma mulher toda ensanguentada que parecia ter se enforcado.
Saíram correndo de medo para irem embora, mas esqueceram que a porta havia sido trancado, então pararam de correr e quando se viraram viram o espírito daquela mulher que se enforcou com uma faca na mão e correntes amarradas nos pés.

Não vou nem citar o que aconteceu naquele dia, pois vocês já podem imaginar... Ninguém sabe, ninguém viu, mas todos dessa cidade ficaram sabendo que esses jovens nunca voltaram de lá...

TEXTO PRODUZIDO E ILUSTRADO PELA ALUNA RAFAELA DIOGO CRUZ – 5º ANO B

A RUA DO PESADELO

Um dia duas meninas chamadas Agnes e Isabelly estavam andando em uma rua estranha e lá tinha uma menina chorando de medo. A menina chamava Júlia e contou o que havia acontecido...
Ela disse que a rua era mal assombrada e que os seus piores pesadelos e tudo que você pensar de ruim acontece.
Agnes e Isabelly perguntaram:
—Você quer ir com gente?
E ela respondeu:
—Sim ,obrigada.
Agnes se apressou em dizer:
—Vamos rápido.
Continuaram andando e no caminho elas encontraram uma serpente gigante. As meninas saíram correndo, mas logo em frente viram um vampiro e gritaram:
—AHHHHHHHHHHHHHHHHH !!!!!!!!!
—Vamos embora, disse a Júlia.
As meninas correram muito, mas logo em frente viram um espelho que enfeitiçou Agnes.
Elas caminharam até encontrar um jardim com muitas flores onde Júlia se aproximou e engolida pelas plantas carnívoras.
Somente Isabelly estava bem e saiu chorando quando encontrou um aquário enorme cheio de água cristalina.
Isabelly se aproximou e vou puxada para dentro do aquário. Nunca mais se ouviu falar das meninas. 

TEXTO PRODUZIDO PELA ALUNA ISABELLY REGINA MULLER – 5º ANO B

A TESOURA ASSASSINA

Em um dia de Natal Pedro ganhou uma tesoura do Batman que custou 10 reais. Pedro queria muito esta tesoura e já estava ficando doente.
A tesoura não tinha nada de diferente, apenas alguns desenhos do Batman.
No dia 27 ele foi a escola todo contente com sua tesoura nova. Ele estudava de manhã e logo às 10 horas Pedro estava tão feliz brincando com sua tesoura.
Sem querer deixou cair no chão e ela saiu correndo e matou a professora.
Todos ficaram chocados, mas ninguém sabia que foi a tesoura do Batman que fez isso.
Houve outros casos, pois em todos os lugares que a tesoura estava tinha mortes.

Pedro ainda brinca inocente com sua tesoura e nunca vai saber que é ela que faz isso.

TEXTO PRODUZIDO E ILUSTRADO PELA ALUNA JULIA GALVANI – 5º ANO B

A VIAGEM PARA PARIS

Em um dia muito feliz eu estava arrumando as malas porque iria a Paris.
Quando terminei de arrumar as malas, fomos correndo para o aeroporto.
Lá no avião estavam eu Ana, meu irmão Pedro e nossos pais Márcio e Simone. O avião estava lotado, havia somente uma cadeira vazia.
Eu fui ao banheiro e quando voltei tinha uma pessoa na cadeira que estava vazia. A pessoa estava todo de preto e não dava nem pra ver seu rosto. Ele não tinha nem malas  e quando chegamos a Paris nem tinham aberto a porta do avião ainda e ele já estava lá fora. Eu achei muito estranho, mas não me meto na vida das pessoas .
Paris e muito legal, eu estava indo em todas as lojas e aquele homem não parava de me seguir. Eu e meu irmão corremos para o museu porque só podia entrar quem tivesse ingresso. Quando já estava dentro do museu, vi o homem atravessando a parede.
Gritei desesperada:
—Ah naaaão, ele é um fantasma. Vamos sair daqui.
Eu e meu irmão estávamos correndo quando trombamos com nossos pais, e fingimos que nada tinha acontecido.
Quando eu estava comprando roupas o fantasma me pegou, eu gritei ,gritei e meus pais pediram ajuda, e por isso ele desistiu e me soltou.

Meus pais resolveram que nos íamos embora de Paris naquele dia. Depois de todos os sustos chegamos em casa sãos e salvos.

TEXTO PRODUZIDO E ILUSTRADO PELA ALUNA JULIA DEL CORSI – 5º ANO B

A CASA MAL ASSOMBRADA

Em uma rua deserta chamada Ida Leone Cleto tinha uma casa estranha com o numero 132. A casa era muito velha e havia uma horta que as plantas estavam apodrecendo.
Havia um quintal muito grande, uma casa do fundo e uma casa na frente.
Na casa principal morava uma família que toda a dia quando iam dormir os fantasmas faziam barulhos batendo a porta .
Certo dia os fantasmas tinham matado o pai André e o filho Paulo e os enterrado no quintal.
A mãe pensava que eles haviam saído e quando anoiteceu ela foi dormir.
O fantasmas levaram a mãe para a casa dos fundos.
A mãe foi acordada pelos espíritos do marido e do filho e percebeu que estava presa na casa dos fundos. A mulher desesperada gritava:
-Socorro! Me ajudem.
Mas, ninguém ouvia. De repente os espíritos do marido e do filho tentaram ajudaram ela a sair antes que os fantasmas a matassem.
Mas, não deu tempo. A mulher morreu e o quarto ficou tomado de uma nuvem branca.

TEXTO PRODUZIDO E ILUSTRADO PELO ALUNO HENRIQUE OLIVEIRA - 5º ANO B